logomarca

logomarca

Total de visualizações de página

terça-feira, 1 de outubro de 2013

CONFLITOS GEOPOLÍTICOS NO CONTINENTE AMERICANO


CONTINENTE AMERICANO – No continente americano predominam as guerrilhas de esquerda, na Colômbia e no México, e uma questão territorial envolvendo a Argentina e o Reino Unido pelo controle das Ilhas Falkland-Malvinas.

·         COLÔMBIA: País com saída para o Oceano Atlântico e Pacífico, enfrenta a atuação das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e ELN (Exército de Libertação Nacional) – guerrilhas de esquerda surgidas na década de 1960 muito ativas até 1980. Após esse período, perderam seu caráter ideológico e passaram a atuar buscando desestabilizar o governo colombiano. Cobram ‘pedágios’ dos traficantes de drogas nas áreas que controlam – cerca de metade do território do país. Como oposição a essas guerrilhas surgiram as AUC (Autodefesas Unidas da Colômbia), grupos paramilitares de direita apoiados pelo exército colombiano par combater as duas guerrilhas. As Farc atualmente tem um partido político visando conseguir apoio político no país, deixando de lado um pouco a luta armada.

·         ILHAS MALVINAS (Argentina X Reino Unido) - As Ilhas Malvinas (em inglês Falkland Islands) são um território britânico ultramarino no Atlântico Sul constituído por duas ilhas principais e um número elevado de ilhas menores, situadas ao largo da costa da América do Sul. Ocupadas pelos britânicos a partir da década de 1830, A soberania sobre as ilhas é reclamada pela Argentina. Em 1982, argentinos e britânicos travaram a Guerra das Malvinas pela posse do território.
Apesar da vitória militar britânica no conflito, o governo argentino mantém a reivindicação de soberania até hoje.

·         MÉXICO – País da América do norte em formato de funil tem como região mais pobre a região de Chiapas nos sul do país, a região é rica em petróleo, porém é a mais atrasada do México, fato que levou o EZLN (Exército Zapatista de Libertação Nacional) – movimento rebelde, a ocupar várias cidades no estado de Chiapas em 1º de janeiro de 1994 (início do NAFTA - Acordo Norte-Americano de Livre Comércio)). Opôs-se ao governo mexicano, reivindicando o combate à exclusão social e a melhoria dos direitos constitucionais dos povos indígenas.

Liderado pelo subcomandante Marcos, iniciou negociações com o governo mexicano e não atua mais por meio do confronto armado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário